Angioplastia coronariana no infarto do miocárdio , após trombólise

0
8

Em geral , o infarto do miocárdio ( ataque cardíaco ) ,  ocorre quando há uma interrupção súbita e intensa do fluxo de uma artéria coronária , que irriga uma determinada região  do coração , ocorrendo  morte de parte do tecido cardíaco. 

A principal causa desta interrupção do fluxo sangüíneo  , é um acidente da  placa de ateroma , ou seja, uma ruptura de uma placa de gordura . Esta ruptura acarreta a formação de um coágulo que interrompe o fluxo sangüíneo neste local da artéria. O  infarto do miocárdio  , é uma das manifestações da doença arterial coronariana, caracterizada pela formação de ateromas na parede das artérias coronárias .

Conforme o traçado do eletrocardiograma, o médico assistente poderá suspeitar que a artéria causadora do infarto do miocárdio  , esteja obstruída parcialmente ou totalmente (  infarto do miocárdio  sem ou com supradesnível do segmento ST no eletrocardiograma ).

No primeiro caso, não será necessário a realização de um cateterismo cardíaco e cineangiocoronariografia de emergência, pois nestes casos o tratamento inicial será com medicações para tentar dissolver o coágulo ( trombo ) , formado na artéria. No segundo caso, será necessário utilizar uma opção de tratamento que possibilite abrir a  artéria  totalmente obstruída o mais rápido possível , desta forma, minimizando a área cardíaca afetada pelo  infarto do miocárdio .

Para tal, dispomos de duas modalidade de tratamento: os trombolíticos (administrados de forma injetável através de uma veia no braço, processo chamado de trombólise ) ou a angioplastia coronariana   ( introdução de um cateter provido de uma balão em sua extremidade, até o local obstruído, permitindo assim, o restabelecimento do fluxo de sangue ). Esta modalidade de angioplastia coronariana , é chamada de angioplastia primária.

Em alguns pacientes , que sofreram um infarto do miocárdio com supradesnível do segmento ST no eletrocardiograma  e , que foram submetidos à terapia com trombolíticos , poderão ser encaminhados para a realização de um cateterismo cardíaco e cineangiocoronariografia  e , se necessário , uma angioplastia coronariana eletiva.  

Indicações de angioplastia coronariana ( eletiva ) no infarto do miocárdio  em pacientes que foram submetidos à trombolise:

– Evidência de isquemia miocárdica espontânea ( dor ou alterações eletrocardiográficas do segmento ST ) ou induzida por exame ( teste ergométrico ou cintilografia ) .

– Realização de cateterismo cardíaco e cineangiocoronariografia  de rotina após a trombólse  ( realizada a menos de 96 horas ) ,   seguida de angioplastia coronariana ,  para os casos aonde o vaso-alvo ( artéria causadora do infarto ) , apresente um estreitamento  inferior à 100% e superior a 50%.

Fonte: Sociedade Brasileira de Cardiologia ( 2008 ).

www.portaldocoracao.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here