Angioplastia coronariana realizada atrávés da artéria radial, causa 58% a menos de sangramentos

0
228

A angioplastia coronariana é uma modalidade de tratamento que consiste na destruição mecânica  de uma placa de gordura, chamada de ateroma, através de um cateter provido de um balão em sua extremidade.

Esse cateter é introduzido através de artérias periféricas, como a artéria radial (localizada na face interna do punho) ou na artéria femural (localizada na virilha).

Um estudo recente demonstrou que utilizar a artéria radial como acesso para a realização de uma angioplastia coronariana não interfere nos índices de sucesso desse procedimento e, ainda, diminui o risco de sangramentos em torno de 58%.

A artéria radial é localizada na face interna do punho, e por ser de menor calibre e mais superficial que a artéria femural, localizada na virilha, se torna mais fácil de comprimir após a angioplastia, minimizando os riscos de sangramentos.

Os sangramentos após uma angioplastia são as complicações mais comuns, visto que estes paciente tomam rotineiramente medicações para “afinar o sangue”, como a aspirina, os inibidores dos receptores P2Y12 (clopidogrel, prasugrel e ticagrelor) e as heparinas.

Adotar a artéria radial como acesso para a realização das angioplastias, embora nem sempre seja possível, é uma estratégia para minimizar os riscos de sangramentos durante este procedimento.

Fonte: JACC.

Autor: Dr. Tufi Dippe Jr. – Cardiologista de Curitiba – CRM/PR 13700.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here