Conheça os tipos de infarto e como identifica-los

Hoje, o infarto é uma situação tão comum que acomete mais de 150 mil casos por ano somente no Brasil.

0
903

O infarto, também conhecido como ataque cardíaco ou como infarto (enfarte) agudo do miocárdio, é uma emergência de saúde que se caracteriza, a grosso modo, por um bloqueio do fluxo de sangue para o músculo do coração.

O que isso quer dizer: os vasos sanguíneos responsáveis pelo transporte de sangue ao coração ficam bloqueados, o que ocasiona a insuficiência de fornecimento de oxigênio para o órgão. O músculo cardíaco (miocárdio) pode ficar danificado de maneira permanente ou morrer.

QUAIS SÃO OS TIPOS DE INFARTO?

Existe a terceira definição universal de infarto do miocárdio, explanada pelo contexto clínico e geralmente consultada por médicos e profissionais da área de saúde.

Coloquialmente, entretanto, o infarto é dividido em três tipos para facilitar o entendimento dos cidadãos. Veja só:

1 – BRANCO

Este é um tipo de infarto que não causa hemorragia. É caracterizado não somente pela obstrução das artérias do coração, mas também as dos rins, baço e cérebro.

Causas: quase sempre arterial.

2 – VERMELHO

Este tipo de infarto tem como aspecto uma intensa hemorragia, o que faz com que a área fique com tom avermelhado, podendo ser visto em órgãos que há forte circulação colateral.

Causas: obstrução arterial ou venosa.

3 – AGUDO NO MIOCÁRDIO

É o campeão e o nome do infarto comum, sendo súbito e intenso.

Causas: a principal é a aterosclerose, mas existem muitas outras que serão conhecidas agora.

Entenda agora facilmente quais são os fatores de risco do infarto.

FATORES DE RISCO/CAUSAS DO INFARTO

O infarto é uma doença multifatorial. Isso quer dizer que ele pode ser provocado por vários fatores que poderão agir de maneira simultânea e conjunta.

Pode-se destacar que algumas das causas e fatores de risco do infarto são:

  • Alcoolismo,
  • Depressão,
  • Diabetes descontrolado,
  • Estresse,
  • Hereditariedade: histórico familiar,
  • Hipertensão,
  • Idade: homens (normalmente acima dos 45 anos) e mulheres (com 55 anos ou mais),
  • Obesidade,
  • Sedentarismo,
  • Tabagismo,
  • Uso de alguns medicamentos,
  • Uso de drogas ilícitas.

É possível visualizar que as principais causas são os problemas diários que se transformam em riscos imediatos do infarto.

SINTOMAS DE INFARTO

infarto, para ser mais complicado, pode ser tanto sintomático como assintomático. Existem alguns sintomas clássicos, enquanto que muitos casos demoram a ser caracterizados por apresentarem sintomas leves muitos dias antes do infarto em si, que acabam passando despercebidos.

A dor do infarto pode acometer qualquer parte do corpo que está localizado entre o lábio inferior e a cicatriz do umbigo, porém se descreve como uma dor no peito em forma de aperto. É claro que não somente a dor é levada em conta – os sintomas abaixo, chamados de clássicos, também precisam ser destacados:

  • Agitação,
  • Ansiedade,
  • Ardor no peito que pode ser confundido com azia,
  • Fadiga e fraqueza intensa,
  • Falta de ar,
  • Náuseas,
  • Palpitações,
  • Sensação de morte iminente,
  • Síncope (desmaio),
  • Sonolência,
  • Sudorese,
  • Tonturas,
  • Vômitos.

Sintomas mais incomuns incluem a sensação de dormência nas mãos.

O pré-infarto seria o mau funcionamento do miocárdio. Este seria um aviso que uma complicação mais séria está chegando – os primeiros sinais deste pré-infarto seriam:

  1. Dor no peito ou mal-estar,
  2. Dor forte nos braços, mandíbula, pescoço, costas ou ombro,
  3. Fadiga,
  4. Náuseas,
  5. Ansiedade,
  6. Dificuldades para respirar,
  7. Suor,
  8. Vômitos.

Muitas pessoas se perguntam quando procurar um médico e a resposta é: imediatamente. Para se ter uma ideia, no Brasil a cada cinco minutos uma pessoa morre de ataque cardíaco – grande parte destas mortes poderiam ser evitadas por meio do conhecimento prévio dos sintomas e da procura pelo atendimento no hospital.

COMO TRATAR O INFARTO

A dúvida de como tratar o infarto é variável, pois depende de sua situação, levando-se em conta a gravidade do estado e os danos no coração. O tratamento se inicia ainda no hospital, podendo incluir:

  • Medicações que melhorem a circulação sanguínea,
  • Medicações que previnem a formação de novos coágulos,
  • Medicações para diminuir o colesterol,
  • Betabloqueadores,
  • Analgésicos.

A angioplastia – conhecida como cateterismo – é uma alternativa quando o tratamento medicamentoso não se torna eficaz suficiente para restabelecer a circulação do sangue.

Em casos mais graves, há necessidade de realizar a cirurgia de ponte de safena.

O tratamento ainda exigirá um tratamento fisioterapêutico composto por exercícios respiratórios, alongamentos musculares e atividades que melhorem o condicionamento físico.

COMO PREVENIR O INFARTO

Hábitos diários podem influenciar na saúde do coração e garantir maior qualidade de vida. É correto conversar com seu médico e pedir orientações sobre como prevenir um novo episódio de infarto ou mesmo para evitar que você seja vítima pela primeira vez.

Os dois principais fatores para a prevenção do infarto são a alimentação saudável e a prática de exercícios físicos: ambos trazem benefícios para todo o organismo.

Além disso, saiba como prevenir o infarto ainda mais com estas rápidas dicas:

  • Controle o estresse,
  • Controle seu colesterol,
  • Controle sua diabetes,
  • Controle sua pressão arterial,
  • Durma bem,
  • Procure não ingerir álcool excessivamente,
  • Evite ser fumante passivo (a),
  • Largue o cigarro,
  • Mantenha seu peso ideal,
  • Procure consultar-se regularmente com seu médico.

Siga as recomendações para impedir novas preocupações!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here