Corpo na água

0
142

A onda nas academias é trocar o seco pelo molhado e promover exercícios no meio aquático. As vantagens? Bem-estar e corpo malhado na certa Cada dia que passa a piscina vai ficando mais irresistível. Não só pelo calor, mas também pelas dezenas de novidades da malhação aquática. Embaladas pelos incontáveis benefícios da água, as academias estão incorporando na sua programação aulas revisitadas de hidroginástica, versões aquáticas de shiatsu e tai chi chuan, além de esportes inusitados, como o surfe e o nado sincronizado. “Além do enorme bem-estar que o contato com a água proporciona, você pode conseguir resultados fantásticos tanto em definição muscular como em condicionamento físico”, garante Vera Lúcia Gonçalves, professora de educação física especialista em hidroginástica, da Fórmula Academia, de São Paulo.

“Os resultados são tão bons ou melhores do que os obtidos nos aparelhos de musculação ou nas salas de aula.” Um dos motivos é que a resistência natural da água intensifica tanto o trabalho cardiorrespiratório como o de força. Além disso, os movimentos que você faz numa aula no seco parecem mais fáceis dentro da água, o que se traduz em melhor rendimento. “Mesmo que a aula seja puxada, a gente não sente todo o esforço que está fazendo”, diz Vera Lúcia. Por quê? Quando o corpo está submerso, ele sofre a ação de duas forças: a da flutuação, que o empurra para cima, e a da gravidade, que o puxa para baixo. O resultado desse cabo-de-guerra é um impacto quase nulo com o solo, o que reduz o risco de lesões e diminui a sensação de cansaço. Para completar, o alongamento também fica mais fácil, porque a água, a uma temperatura média de 29¼, ajuda no aquecimento do músculo.

Hidro poderosa:

Um grupo de senhoras da terceira idade fazendo movimentos leves e coreografados dentro da piscina. Se é essa a imagem que vem à sua cabeça quando alguém fala em hidroginástica, está mais do que na hora de mudar de idéia. A atividade não é sinônimo de malhação light. “Existem vários tipos de aulas, para todos os níveis de condicionamento físico de iniciante a avançado”, diz Sérgio Braz, coordenador da academia Reebok Sports Club, de São Paulo. “As aulas têm ritmo, são motivadoras e trabalham os músculos, a capacidade cardiovascular e a flexibilidade.” A professora de hidroginástica da Runner, Eliana Baptiston, assina embaixo dessas palavras e vai mais longe. “Seguindo um programa à risca, você consegue eliminar gordura e ganhar massa muscular em poucos meses, além de sentir uma melhora geral no condicionamento físico.” Em uma hora de aula com enfoque aeróbico, uma aluna que já tem algum preparo gasta, em média, de 300 a 400 calorias; se o trabalho for localizado, a perda fica em torno de 200 calorias. Conheça algumas das modalidades que vão fazer você aposentar o tênis, vestir o maiô e cair na água.

– Hidro local : nessa ginástica localizada, você trabalha os grupos musculares com halteres, luvas, tornozeleiras, aquatubes e outros equipamentos que flutuam e são próprios para atividades na água.

– Deep running : vestindo um colete de flutuação, você corre. Como o impacto com o solo é zero, o trabalho cardiovascular aumenta em 30%.

– Water running : outro tipo de corrida, com variações de deslocamento em todas as direções usando braços e pernas, sem colete.

– Hidrobol : ao mesmo tempo que você fica brincando com uma bola de borracha nas mãos, desenvolve coordenação motora, equilíbrio e agilidade, além de melhorar a resistência cardiorrespiratória e neuromuscular.

– Hidro kick-boxe : socos e chutes dentro da água sem tocar os pés no chão. Em algumas academias são combinados com exercícios de treinamento de boxe, como simulações de pular corda e corrida.

– Hidro sport : sem bola, você dá saques, cortadas, manchete, como se estivesse jogando vôlei, tênis, futebol ou basquete. Desenvolve coordenação motora, resistência muscular localizada e agilidade.

– Hidro action : inspirada nos esportes de aventura, com exercícios que desenvolvem agilidade, equilíbrio e concentração. A aula simula situações de risco, em que você tem de pular fios de alta tensão, e, digamos, atividades radicais, como canoagem e escalada.

– Hidro core : trabalha os músculos que formam o core: abdômen, quadril e costas. Ao treiná-los, você melhora o equilíbrio e, conseqüentemente, o alinhamento do seu corpo.

Aquaterapia:

A turma zen também aderiu às propriedades poderosas da água, utilizando-a para obter o equilíbrio do corpo e da alma e ampliar a sensação de bem-estar e de paz. “O meio aquático relaxa e diminui o stress corporal”, diz a professora Vera Lúcia. “Quem não se sente revigorada depois de entrar embaixo de uma cachoeira ou tomar um belo banho de imersão?” Uma das modalidades preferidas dos candidatos ao nirvana é o watsu, que tem origem no shiatsu e mistura massagem, técnicas de relaxamento e alongamento. Numa piscina cuja temperatura fica em torno de 35¼, o professor massageia o aluno nos pontos onde costuma acumular tensão, fazendo com que ele deslize lentamente sobre a água e vá estendendo todos os músculos. Os sentidos auditivos também são estimulados com uma trilha de sons de animais e música clássica. A sessão é individual e pode demorar de quarenta minutos a uma hora. Já a versão aquática do tai chi chuan ganhou o nome de watai. A aula dura trinta minutos e é dividida em duas partes: exercícios individuais com toques e massagens terapêuticas, fundamentadas nos princípios da chamada arte da meditação em movimento. Os gestos são lentos e promovem a harmonia entre as energias yin e yang por meio da coordenação da consciência e da respiração, liberando as tensões corporais.

Movida pelo esporte:

Para as esportistas de plantão também há alternativas atraentes. As mais radicais podem praticar aulas inusitadas, como o surfe. Se você sempre sonhou em fazer manobras numa onda mas nunca teve coragem de tentar, vai adorar, na certa. Os fundamentos do esporte, como técnicas de remada, braçadas e posicionamento das pernas, fazem parte do programa que, de quebra, treina coordenação motora, equilíbrio, reflexo e melhora a postura. Depois, é só transferir as lições para o mar. Para quem não pretende virar surfista, vale pelos benefícios para a boa forma. “Muitas mulheres procuram o surfe simplesmente porque ele aumenta a força dos músculos e o condicionamento cardiovascular”, diz Almir Marchetti, coordenador aquático da academia Bio Ritmo, de São Paulo. Outra modalidade que ganhou espaço é o nado sincronizado. Isso mesmo. Aquele com coreografias lindas que a gente costuma ver nas olimpíadas. A aula dura 45 minutos e é feita em piscinas profundas, onde não dá para tocar os pés no chão. Derivado do balé aquático, o esporte desenvolve a flexibilidade, melhora a consciência corporal, o equilíbrio e o ritmo, além de dar resistência aeróbia e muscular.    

Fonte: Revista Nova.

www.portaldocoracao.com.br 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here