Estudo identifica os fatores de risco nas cirurgias cardíacas em septuagenários

0
257

A mortalidade em idosos septuagenários (com 70 anos ou mais) submetidos a uma cirurgia cardíaca, é maior quando comparamos com as taxas de mortalidade em pacientes mais jovens.Cresce em todo o mundo o número de cirurgias cardíacas realizadas em pacientes septuagenários.

Um estudo teve como objetivo principal determinar os fatores de risco para complicações operatórias neste grupo de pacientes.Os prontuários de 783 pacientes submetidos a operações cardíacas (cirurgias valvulares e de revascularização do miocárdio isoladas ou associadas) no período de 2002 a 2007, foram analisados. Tais pacientes foram divididos em um grupo "com menos de 70 anos de idade" e em outro grupo "com mais de 70 anos de idade".

Cento e noventa e sete pacientes tinham 70 anos ou mais de idade (idade média 74,1) e 61% eram do sexo masculino.Em ambos os grupos, a revascularização do miocárdio (cirurgia de ponte de safena) foi a cirurgia mais frequente. No grupo com mais de 70 anos, 41% dos pacientes tiveram ao menos uma complicação, índice bem maior quando comparado aos 22% do grupo com menos de 70 anos.

A incidência de sangramento pós-operatório, complicações pulmonares, mediastinite (infecção localizada no tórax), necessidade de vasopressores (drogas que aumentam a pressão arterial), disfunção renal e acidente vascular cerebral (derrame cerebral) foi significativamente maior no grupo com mais de 70 anos.

A mortalidade foi maior no grupo com mais de 70 anos (19% versus 8,5%). A análise estatística dos dados revelou que a DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica), fração de ejeção reduzida (diminuição da capacidade de contração do coração avaliada pelo ecocardiograma), operação emergêncial e o tempo de circulação extracorpórea maior que 120 minutos, são preditores de maior mortalidade hospitalar no grupo estudado.O risco de morte hospitalar em pacientes com mais de 70 anos nas operações cardíacas é maior que nos pacientes mais jovens.

Fonte:Rev Bras Cir Cardiovasc(2008).

www.portaldocoracao.com.br  

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here