Fast food: Nutricionista orienta as melhores escolhas

0
146

Fast food ("comida rápida" em inglês) é o nome genérico dado ao consumo de refeições que podem ser preparadas e servidas em um intervalo pequeno de tempo. São comercializados desta maneira os sanduíches, pizzas e pastéis (no Brasil), entre outros. Aplica-se comumente à comida vendida em lojas pertencentes às grandes redes de alimentação.

O mesmo alimento, que por vezes é vendido como refeição rápida, pode também ser consumido em restaurantes. O fast-food virou sinônimo de um estilo de vida estressante que vem sendo criticado desde o final do século XX.

O fast food é uma opção para várias pessoas que se deparam com a necessidade, muitas vezes diária, de substituir uma refeição por uma alimentação rápida, simples e de fácil preparo.

Os alimentos ditos fast food contém quantidades variáveis de calorias e gorduras.

Alimento:  calorias(Kcal)-gordura(g)-colesterol(mg)

Big Mac   500         27          54

Cheeseburger   318         16          41

Chesse salada   428          22          46

Hamburguer   257            9          22

Misto quente  283          9,2        34

MacChicken   454         25          49

MacFish   373         16          43

Quarteirão   558         32          86    

Pizza muzzarela – 1 fatia     327          17        44

Esfiha de carne    127          1,9        11

Pastel de carne    202            6        30

Pão de queijo   210           3,6        51

Batata frita – 1 porção     274            14         0

Maionese – 1 colher (sopa)    57             5         4

Refrigerante – 1 copo    80             0         0

Suco de laranja – 1 copo   102            0         0

Sanduíche de frango com alface e tomate     283     2        72

Para garantir a saúde do corpo é necessário buscar o equilíbrio de nutrientes, evitar o consumo excessivo de gorduras e valorizar as fibras, vitaminas e sais minerais.

Se não existe outro caminho a não ser uma refeição rápida, procure pelo menos, optar por escolhas mais saudáveis:

– Alimentos fritos (como coxinhas, pastéis e rissoles) sempre vão conter maior quantidade de gordura, portanto é melhor optar pelos assados.

– Sanduíches tradicionais a base de hambúrgueres, frios e embutidos contêm quantidades consideráveis de gordura saturada e colesterol; portanto o melhor é escolher um sanduíche simples de filé grelhado (de gado ou de frango), ou a base de frios ou embutidos de aves (peru ou frango);

– O acréscimo de maioneses ou molhos cremosos também deve ser evitado ou substituído por maionese light ou molhos a base de iogurte desnatado;

– Procurar sempre que possível acrescentar alguma hortaliça (como alface, tomate) ao sanduíche;

– Pizzas de muzzarela e de calabresa podem ser substituídas por ricota ou queijo branco, atum, tomate, rúcula, escarola;

– No caso das bebidas, para acompanhamento deve-se optar por sucos de frutas naturais ao invés dos refrigerantes;

– É aconselhável também, ter em casa pães integrais para o preparo de lanches rápidos.

É importante que exista a consciência de que se o consumo do “fast food” ocorreu em uma refeição do dia, o ideal é que nas demais refeições do dia, exista um equilíbrio no consumo, ou seja, refeições com menor teor de gordura e de colesterol para compensar o excesso cometido. Esta é “lei da compensação” que garante a praticidade aliada ao prazer do paladar e a saúde. Seja consciente em suas escolhas alimentares.

Ana Flávia Pinheiro – Nutricionista – CRN 1004.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here