Fibras alimentares ajudam na prevenção e tratamento da obesidade, explica nutricionista

0
189

A  Organização Mundial da Saúde (OMS) considera a obesidade como um dos maiores problemas de saúde pública no mundo. O Brasil apresenta cerca de 40% de sua população adulta, entre homens e mulheres, acima de um peso saudável (sobrepeso ou obesidade).

A obesidade é o excesso de gordura corporal causado por um desequilíbrio entre a ingestão e o gasto calórico de calorias. Esta doença é avaliada pelo Índice de Massa Corporal (IMC).  O IMC é o PESO (Kg) dividido Altura (m) ao quadrado ( P/ AxA).

Classificação do IMC pela OMS:

< 18           MAGRO OU INICIO DE DESNUTRIÇÃO

18 – 24,9    PESO NORMAL

25 – 29,9    EXCESSO DE PESO

> 30           OBESIDADE

> 40          OBESIDADE MÓRBIDA

Excesso de peso ou obesidade pode ser decorrente de fatores como:

– Consumo excessivo de  alimentos (ingestão que supera as necessidade energéticas do organismo);

– Erros alimentares;

– Gasto menor de energia (sedentarismo ou pouca atividade física);

– Fatores genéticos;

– Problemas fisiológicos.

Existem dois tipos de obesidade:

– Obesidade androide ou tipo maçã: o excesso de gordura está localizado na região abdominal  ou tronco. Este tipo é o mais está associado a complicações metabólicas como diabetes, hipertensão  arterial, dislipidemias e complicações cardiovasculares.

– Obesidade ginecoide ou tipo pera: o excesso de gordura está localizado nos quadris e  não traz muitos riscos à saúde.

Reorganizar o consumo alimentar é um passo fundamental para o tratamento da obesidade.  De acordo com Howarth e seus colaboradores, a maioria dos estudos publicados indicam que  um aumento no consumo de fibras solúveis e insolúveis proporciona saciedade e diminui  consequentemente a fome.

Alimentos ricos em fibras exigem maior tempo de mastigação,  o que estimula a salivação e diminui a ingestão de outros alimentos; o que proporciona  uma redução no consumo calórico. A mastigação também exerce efeito direto sobre  o hipotálamo, produzindo sensação de saciedade.

As fibras alimentares do tipo solúveis são as mais importantes no tratamento da obesidade.  Entre elas estão as frutas, a aveia, a cevada, as leguminosas (como a lentilha, o feijão,  o grão-de-bico, a ervilha) e as hortaliças. Sua principal ação é formar géis no estômago, formando bolos alimentares mais viscosos, que influenciam nas respostas nervosas dizendo ao  organismo que está saciado. Essa saciedade leva também à redução da ingestão de outros alimentos, durante e mesmo um tempo após a refeição.

Especialistas insistem que as fibras podem ser utilizadas no controle da obesidade, pois não são digeridas pelo organismo e não fornecem calorias. Desta forma, elas favorecem  uma sensação de saciedade mesmo com a ingestão de poucas calorias.Mas, além disso, estudos vêm comprovando que as fibras reduzem a quantidade de calorias que são absorvidas do s alimentos.

Pesquisadores da Beltsville Human Nutrition Research Center (Maryland, estados Unidos) testaram 9 dietas com variadas quantidades de fibras e gordura. As pessoas que se alimentaram da dieta contendo mais fibras absorveram menos gordura do que aquelas  que comeram poucas fibras.

Autora: Dra. Ana Flávia Pinheiro – Nutricionista – CRN 1104.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here