Holter ou eletrocardiografia dinâmica

0
293

Norman Holter foi um biofísico norte-americano que inventou o monitor Holter em 1949, um dispositivos portátil para a monitorização contínua da atividade elétrica cardíaca por 24 horas ou mais (eletrocardiografia dinâmica).

O holter utiliza um pequeno aparelho gravador portátil que registra continuamente a atividade elétrica do coração, por meio do registro do eletrocardiograma. Nele são analisados apenas três canais do eletrocardiograma, continuamente sem que a pessoa precise alterar sua rotina.

Para a monitorização dos três canais são necessários quatro eletrodos posicionados no tórax. Seu período estendido de gravação é muitas vezes útil para observar arritmias ocasionais que com o curto tempo de registro do eletrocardiograma não são observadas.

As indicações para o exame são diversas e incluem: desmaios, palpitações, tonturas, suspeita de fibrilação atrial, controle após uso de medicações que afetem o sistema elétrico cardíaco etc.

Não há contraindicação para o exame, porém lesões na pele do tórax ou alergias podem dificultar o procedimento devido à necessidade de permanecer 24 horas com os eletrodos na região torácica.

Indicações

-Avaliar as variações do ritmo e da frequência cardíaca que ocorrem ao longo das 24 horas, denominadas “variações circadianas espontâneas”.

-Avaliação de sintomas muito frequentes que ocorrem de forma paroxística, ou seja, que aparecem e desaparecem de forma inesperada.

-Avaliar o risco dos eventos arrítmicos (arritmias) por meio da análise da modulação do controle do sistema nervoso autônomo sobre o coração (“variabilidade RR”).

Contraindicações

Não há.

Preparo

Tomar banho antes de realiza o exame. Não usar cremes na pele do tórax antes do procedimento. É fundamental, em caso de pacientes portadores de marca-passo, trazer a carteirinha de identificação do aparelho para cópia das informações. A falta destas informações prejudica e até impede a análise e a interpretação do exame.

Como é feito?

Os quatro eletrodos de contato são aderidos ao tórax do paciente e conectados ao gravador por meio de cabos, e o monitor é afixado à cintura do paciente.

Orientações durante o período que permanece com o holter

Não deitar sobre colchões ou travesseiros magnéticos, pois os mesmos emitem ondas energéticas que dão interferência, impedindo a gravação da atividade elétrica do coração.

Liberada a utilização de telefones celulares, micro-ondas e todos os equipamentos eletrodomésticos.

Orientação após a retirada do Holter

Utilizar creme hidratante após o banho. Se apresentar lesões nos locais de colocação dos eletrodos, entrar em contato com o hospital. Não expor ao sol a pele do tórax onde estavam os eletrodos durante três a cinco dias.

Limitações

​Como permanece por apenas 24 horas com o paciente, a chance da ocorrência de sintomas durante a monitorização é menor que a do sistema de monitorização de eventos, que permanece vários dias com o paciente.​​​

Fonte: Hospital Albert Einstein.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here