Novo exame prediz risco de morte em portadores de insuficiência cardíaca

0
197

A insuficiência cardíaca ou insuficiência cardíaca congestiva  é uma condição grave,  na qual a quantidade de sangue que o coração é capaz de bombear  a cada minuto ( débito cardíaco), é insuficiente para suprir as necessidades de oxigênio e  nutrientes de todo organismo.

A insuficiência cardíaca   tem muitas causas, incluindo as doenças cardiológicas ou doenças de outros órgãos que afetem o funcionamento do coração. Atualmente com as opções de tratamento possíveis, os indivíduos com insuficiência cardíaca  podem viver muitos anos.   Um novo exame de sangue chamado de Teste da Pro-Adrenomedulina Medio-Regional(MR-proADM), é capaz de predizer o risco de morte aos 90 dias em portadores de insuficiência cardíaca.

Em um recente estudo realizado com portadores de insuficiência cardíaca, o MR-proADM mostrou-se um preditor de mortalidade superior a outro exame que já é utilizado com essa finalidade, o peptídeo natriurético cerebral(BNP). O teste da MR-proADM é uma medida indireta da adrenomedulina, um hormônio que se eleva com a constrição dos vasos e disfunção endotelial, condições frequentemente encontradas em pacientes  com insuficiência cardíaca e que indicam uma evolução clínica desfavorável.

O valor prognóstico do MR-proADM em portadores de insuficiência cardáiaca, foi comparado ao BNP no estudo BACH, apresentado no congresso da American Heart Association (AHA) em novembro de 2008. O BNP é um preditor de mortalidade mais eficiente do que alguns indicadores clínicos, como idade, sexo e a função renal. O estudo BACH foi o maior estudo a ser feito em pacientes com insuficiência cardíaca, incluindo 1.782 pacientes em 15 centros ao redor do mundo. Os pacientes foram avaliados para insuficiência cardíaca no serviço de emergência por dispnéia (falta de ar)  sem relação com trauma ou infarto do miocárdio.

O desfecho principal do estudo foi a comparação entre a capacidade do MR-proADM e do BNP em predizer a mortalidade em 90 dias.O professor Dr. Stefan D. Anker, do Campus Virchow-Klinkum, Charite Medical Center (Berlin, Alemanha), co-investigador principal do estudo, relatou que o MR-proADM tem um valor prognóstico maior  que o BNP  aos 90 dias. O valor prognóstico do MR-proADM foi ainda maior em 30 dias do que em 90 dias.

O melhor poder prognóstico do MR-proADM o faz a melhor ferramenta de estratificação de risco, que pode ajudar a um melhor  manejo no paciente, disse o Dr. Anker.

Fonte: Congresso da AHA (2008).

www.portaldocoracao.com.br  

   

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here