Teste de esforço (teste ergométrico) em crianças e adolescentes

0
115

Pacientes adultos têm como indicação mais freqüente do teste de esforço a busca por informações diagnósticas, quando há uma suspeita de doença arterial coronariana (obstruções das artérias do coração por placas de gordura), na ausência de alterações significativas  do eletrocardiograma (registro da atividade elétrica do coração no estado de repouso).

A doença isquêmica coronariana (falta de irrigação do músculo do coração) é rara na população jovem, o que mostra uma diferença significativa na indicação e interpretação e  resulta em baixo risco na rotina do  teste de esforço na população pediátrica. As complicações são extremamente raras, mesmo quando o teste de esforço  é realizado em crianças com cardiopatias congênitas e arritmias cardíacas. As aplicações do teste de esforço  nos jovens  estão principalmente relacionadas à medida da capacidade de exercício, avaliação de anormalidades cardíacas já conhecidas e de sintomas relacionados  ao exercício.

As indicações do  teste de esforço em crianças e adolescentes, segundo o American College of Cardiology (ACC) e a American Heart Assossiation (AHA),são:

– Indicações classe I – indiscutivelmente úteis:

Avaliação da capacidade de exercício em crianças com cardiopatias congênitas, crianças submetidas a tratamento cirúrgico de cardiopatias congênitas, com doença valvar adquirida ou doença miocárdica;

Avaliação de crianças com queixa de dor torácica anginosa;

Acompanhamento da resposta de marcapasso artificial ao exercício;

Avaliação de sintomas relacionados ao exercício em atletas jovens.

– Indicações Classe II – provavelmente úteis:

Avaliação da resposta ao tratamento médico, cirúrgico ou ablação por radiofreqüência de crianças com taquiarritmia observada em teste de esforço anterior;

No acompanhamento da repercussão das lesões valvares congênitas ou adquiridas, especialmente estenose valvar aórtica;

Avaliação do ritmo durante o exercício em pacientes com suspeita de arritmia induzida pelo exercício ou quando a mesma foi diagnosticada a partir do exercício físico.

Fonte: Rev Bras Med Esporte(2004).

www.portaldocoracao.com.br

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here