Saxenda é uma boa opção para a perda de peso

0
3458

A Anvisa aprovou em fevereiro de 2016 o registro do medicamento Saxenda (liraglutida) para o controle crônico de peso, associado a uma dieta pobre em calorias e exercícios físicos regulares.

Indicação

O Saxenda é indicado para adultos com índice de massa corporal (IMC), ou seja, o peso dividido pela altura ao quadrado, de 30 kg/m² ou mais (obesidade), ou ainda, para os indivíduos com IMC a partir de 27kg/m² (sobrepeso) na presença de pelo menos uma comorbidade relacionada ao excesso de peso, como alterações da glicemia (pré-diabete e diabete melito tipo 2), hipertensão arterial, anormalidades do colesterol ou apneia obstrutiva do sono.

Contraindicação

Hipersensibilidade (reação alérgica) à liraglutida ou a qualquer outro componente do Saxenda. O medicamento também não deve ser usado em casos de gravidez e, caso a paciente deseje engravidar, o mesmo deve ser descontinuado.

Como atua o Saxenda?

O Saxenda é um agonista do receptor do peptídeo semelhante ao glucagon 1 humano acilado (GLP-1). O GLP-1 é um regulador fisiológico do apetite e da ingestão de calorias e o seu receptor (GLP-1R) está presente em várias regiões do cérebro envolvidas com a regulação do apetite. Ao aumentar os níveis do GLP-1, o Saxenda diminui o apetite e provoca perda de peso.

Como utilizar o Saxenda?

O Saxenda é uma medicação de aplicação subcutânea, ou seja, injetado logo abaixo da pele do abdome, coxa ou parte superior do braço. Em geral, a aplicação do Saxenda é muito bem tolerada pelos pacientes.

O medicamento é encontrado num sistema de aplicação (espécie de caneta aplicadora) que contém 18 mg de liraglutida, e que libera doses de 0,6 mg, 1,2 mg, 1,8 mg, 2,4 mg e 3,0 mg. Cada embalagem contém três sistemas de aplicação.

Esse sistema de aplicação foi desenvolvido para ser utilizado com as agulhas descartáveis com comprimento de até 8 mm. As agulhas não estão incluídas na embalagem.

O paciente deve iniciar com a dose de 0,6 mg subcutânea uma vez pela manhã. A dose do medicamento deve ser aumentada a cada sete dias, até atingir a dose máxima de 3 mg. Muitos pacientes desenvolvem náuseas com o aumento da dose, fato que pode limitar que esses atinjam a dose máxima de 3 mg. Nesses casos, muitos pacientes acabam ficando com doses menores de manutenção, como 1,8 mg ou 2,4 mg, com uma perda satisfatória de peso.

Perda de peso

Pacientes que foram definidos como respondedores precoces ao Saxenda atingiram uma perda de peso de 5% ou mais do peso corporal após 12 semanas de
tratamento na dose de manutenção com o Saxenda (4 semanas na dose de titulação e 12 semanas na dose de manutenção).

A média da perda de peso em pacientes respondedores precoces que completaram um ano de tratamento foi de 11,2% do peso corporal inicial. Cerca de 20% dos pacientes que usaram o Saxenda nos estudos, perderam mais de 10% do seu peso corporal.

O medicamento também proporciona reduções da glicemia (taxa de açúcar no sangue), hemoglobina glicada (exame que avalia a média da glicemia nos últimos 3 meses), circunferência abdominal e pressão arterial.

Efeitos colaterais

O efeitos colaterais mais comuns são náuseas, vômitos, diarreia, constipação intestinal (prisão de ventre), tonturas e reações no local da injeção. Casos de colelitíase (pedra na vesícula biliar), colecistite (inflamação da vesícula biliar) e pancreatite (inflamação do pâncreas) são raros, mas foram observados entre os usuários do Saxenda.

“O Portal do Coração adverte: nunca inicie, substitua ou suspenda um medicamento sem orientação médica.”

Autor: Dr. Tufi Dippe Jr – Cardiologista de Curitiba – CRM/PR 13700.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here