Moléstia reumática ( febre reumática )

0
261

A moléstia reumática ( MR ) , também chamada de febre reumática , é uma doença causada por uma infeccção bacteriana ( estreptococo beta hemolítico ) , cujas principais manifestações são a artrite ( inflamação das articulações ) e a cardite ( inflamação do coração , sobretudo das válvulas cardíacas ) .

Embora a moléstia reumática possa ocorrer após uma infecção estreptocócica ( sempre localizada na garganta ) , ela não é considerada uma doença infecciosa . Trata-se de uma reação inflamatória e imunológica  a uma infecção bacteriana , afetando muitas partes do corpo, como as articulações,  coração , pele e o sistema nervoso central . A doença pode ocorrer em um único surto ou ser recorrente  . 

A seqüela mais devastadora da moléstia reumática é a cardiopatia reumática crônica  .  O primeiro surto da   moléstia reumática costuma ocorrer entre 3 e 15 anos de idade . A doença é mais comum  nos  países  em desenvolvimento ou subdesenvolvidos , em relação aois países desenvolvidos. Nestes últimos , os antibióticos são amplamente utilizados para tratar as infecções estreptocócicas em seu estágio inicial  .

Sinais e sintomas:

Os sintomas da moléstia reumática  variam bastante, dependendo de quais partes do organismo tornaram-se inflamadas. Tipicamente, os sintomas começam várias semanas após uma infecção estreptocócica da garganta ( faringite ou amigdalite ).

Os principais sintomas da  moléstia reumática são a artrite (inflamação articular), a febre, a dor torácica ou palpitações causadas pela cardite ( inflamação do coração ), a coréia de Sydenham ( movimentos espasmódicos involuntários e incontroláveis ) , o eritema marginado (um tipo de erupção de pele ) e pequenos nódulos subcutâneos ( localizados abaixo da pele ).

A criança pode apresentar um ou vários desses sintomas, embora o eritema marginado ou os nódulos subcutâneos raramente sejam os únicos  sintomas.  As dores articulares e a febre são os sintomas iniciais mais comuns. Uma ou várias articulações tornam-se subitamente dolorosas , inchadas  e  sensíveis à palpação. Elas também podem ficar  vermelhas  e quentes,  podendo conter líquido no seu interior ( edema articular ) . Os tornozelos, os joelhos, os cotovelos e os punhos são comumente afetados.

À medida que a dor em uma articulação melhora, uma outra articulação começa a dor, particularmente quando a criança não for mantida ao leito e medicada com um antiinflamatório ( poliartrite migratória ) . As dores articulares e a febre freqüentemente desaparecem ao longo de 2 semanas e raramente duram mais de um mês. Muitas vezes, a cardite ( inflamação do coração ) inicia ao mesmo tempo que as dores articulares e a febre.

No início, a cardite  não costuma causar sintomas . Ela pode ser descoberta por um médico que , com o auxílio de um estetoscópio, ausculta um sopro cardíaco. Algumas vezes, a freqüência cardíaca pode estar aumentada. O pericárdio ( saco que envolve o coração) pode inflamar, causando dor torácica. A insuficiência cardíaca pode ocorrer. Os sintomas de insuficiência cardíaca nas crianças são diferentes dos sintomas apresentados pelos adultos. A criança apresenta falta de ar, náuseas, vômitos, dor de estômago , tosse seca e cansaço fácil.

Contudo, os sintomas da cardite freqüentemente são tão discretos que a criança não é levada ao médico e a lesão cardíaca pode ser descoberta apenas muito tempo após os outros sintomas da moléstia reumática  terem desaparecidos. A cardite desaparece gradualmente, geralmente ao longo de 5 meses.

No entanto, ela pode causar lesão permanente das válvulas cardíacas, produzindo a cardiopatia reumática crônica . A válvula mitral ( localizada entre o átrio e o ventrículo esquerdos ) é a mais comumente lesada. A válvula pode apresentar escape ( insuficiência mitral ) e/ou um estreitamento anormal . A lesão valvular produz os sopros cardíacos característicos que permitem ao médico diagnosticar a MR . A coréia de Sydenham (movimentos espasmódicos involuntários e incontroláveis ) pode manifestar-se gradualmente.

Pode levar um mês para os movimentos tornarem-se suficientemente intensos a ponto de fazer os pais levarem a criança ao médico. Nesse momento, a criança geralmente apresenta movimentos rápidos involuntários e esporádicos que cessam durante o sono. Os movimentos podem afetar qualquer músculo, exceto os dos olhos. Os trejeitos faciais são comuns.

Nos casos leves, a criança pode parecer desajeitada e apresentar alguma dificuldade para vestir-se e alimentar-se. A coréia pode cessar gradualmente após 4 meses, mas, ocasionalmente, ela dura 6 a 8 meses. Uma erupção cutânea plana e indolor com borda ondulada pode ocorrer no momento em que os outros sintomas estão desaparecendo. Ela dura pouco tempo, algumas vezes menos de um dia. Pode ocorrer a formação de pequenos nódulos duros sob a pele, geralmente em crianças com cardite (inflamação do coração).

Geralmente, os nódulos são indolores e desaparecem sem tratamento. Ocasionalmente, a criança apresenta inapetência e uma dor abdominal muito intensa que é confundida com a apendicite.

Diagnóstico:

O diagnóstico da moléstia reumática  é baseado sobretudo na combinação dos sintomas, que são característicos. Os exames de sangue podem revelar uma contagem alta de leucócitos ( glóbulos brancos ) e uma velocidade de hemossedimentação elevada. A maioria das crianças com  moléstia reumática apresenta anticorpos contra os estreptococos.

Os anticorpos contra o estreptococo , podem ser mensurados em uma amostra de sangue ( antiestreptolisina o ou ASLO ). Arritmias cardíacas ( ritmos cardíacos anormais ) causadas pela cardite podem ser observadas em um eletrocardiograma ( registro da atividade elétrica do coração). O ecocardiograma ( imagem das estruturas cardíacas gerada por ondas de ultra-som ) pode ser utilizado para se diagnosticar as doenças das válvulas cardíacas.

Prevenção e Tratamento:

A melhor maneira de se prevenir a moléstia reumática  são a boa nutrição e a antibioticoterapia imediata para combater qualquer infecção supostamente estreptocócica. O tratamento da  moléstia reumática tem três objetivos: curar a infecção estreptocócica e impedir o seu retorno; reduzir a inflamação, sobretudo das articulações e do coração e ; limitar a atividade física que pode agravar a condição das estruturas inflamadas. O ácido acetilsalicílico ( aspirina ) e ou outros antiinflamatórios não-hormonais ( AINH ), são administrados em doses elevadas para reduzir a inflamação e a dor, sobretudo quando a inflamação afeta articulações.

Algumas vezes, é necessária a administração de analgésicos mais potentes . Quando a cardite (inflamação do coração) é grave, o médico pode prescrever corticosteróides para reduzir ainda mais a inflamação. O repouso no leito é importante. Quando existem lesões de válvulas cardíacas, o risco de endocardite infecciosa ( infecção valvular ) permanece por toda a vida.

Pelo menos até os 18 anos de idade, as crianças que tiveram  moléstia reumática devem ser medicadas com penicilina oral ou com injeções intramusculares periódicas de penicilina para prevenir o retorno da infecção .Esta prevenção pode extender-se pelo resto da vida naquelas crianças que sofreram de cardite .

www.portaldocoracao.com,br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here