Felodipina ( Splendil )

0
143

Splendil   – Composição:

COMPRIMIDOS 5 MG: CADA COMPRIMIDO CONTEM: FELODIPINA 5 MG: COMPRIMIDOS 10 MG: CADA COMPRIMIDO CONTEM: FELODIPINA 10 MG.

– Indicações :

HIPERTENSAO ARTERIAL.

– Contra-indicações:

CONTRA-INDICADO DURANTE A GRAVIDEZ E PARA PACIENTES QUE APRESENTAM HIPERSENSIBILIDADE A FELODIPINA. – USO DURANTE A GRAVIDEZ E LACTACAO: A FELODIPINA NAO DEVE SER ADMINISTRADA A MULHERES GRAVIDAS OU A MULHERES COM POSSIBILIDADE DE VIR A ENGRAVIDAR. EM UM ESTUDO SOBRE FERTILIDADE E CAPACIDADE REPRODUTORA GERAL EM RATOS, FOI OBSERVADO UM PROLONGAMENTO DO PARTO RESULTANDO EM TRABALHO DE PARTO DIFICIL/AUMENTO DAS MORTES FETAIS E DAS MORTES POS-NATAIS PRECOCES NOS GRUPOS TRATADOS COM DOSES MEDIAS E ALTAS. ESTUDOS DE REPRODUCAO EM COELHOS DEMONSTRARAM UM AUMENTO REVERSIVEL DAS GLANDULAS MAMARIAS NAS MAES E ANORMALIDADES DIGITAIS NOS FETOS. ESSES EFEITOS FORAM DOSE-DEPENDENTES. AS ANOMALIAS NOS FETOS FORAM INDUZIDAS QUANDO A FELODIPINA FOI ADMINISTRADA DURANTE OS PRIMEIROS PERIODOS DO DESENVOLVIMENTO FETAL. A FELODIPINA PASSA PARA O LEITE MATERNO. ENTRETANTO, E IMPROVAVEL QUE AFETE O LACTENTE QUANDO A MAE E TRATADA COM DOSES TERAPEUTICAS.

– Precauções:

SPLENDIL, ASSIM COMO OUTROS DILATADORES ARTERIOLARES EFICAZES, PODE, EM RAROS CASOS, PROVOCAR HIPOTENSAO SIGNIFICANTE COM TAQUICARDIA, A QUAL, EM INDIVIDUOS SUSCETIVEIS, PODE RESULTAR EM ISQUEMIA MIOCARDICA.

– Reações Adversas:

COMO PARA QUALQUER VASODILATADOR, SPLENDIL PODE CAUSAR RUBORIZACAO, CEFALEIA, PALPITACOES, TONTURA E FADIGA. A MAIORIA DESSAS REACOES E DOSE-DEPENDENTE E APARECE NO INICIO DO TRATAMENTO OU APOS AUMENTO DA DOSE. SE TAIS REACOES OCORREREM, SAO GERALMENTE TRANSITORIAS E SUAS INTENSIDADES DIMINUEM COM O PASSAR DO TEMPO. DA MESMA FORMA QUE PARA OS OUTROS DERIVADOS DIIDROPIRIDINICOS, SPLENDIL PODE CAUSAR EDEMA DOSE-DEPENDENTE NA REGIAO DO TORNOZELO COMO RESULTADO DE VASODILATACAO PRE-CAPILAR. ASSIM COMO PARA OUTROS DERIVADOS DIIDROPIRIDINICOS, FORAM RELATADOS CASOS DE HIPERTROFIA GENGIVAL DISCRETA EM PACIENTES COM GENGIVITES OU PERIODONTITES ACENTUADAS. ESTE EFEITO PODE SER PREVENIDO OU REVERTIDO ATRAVES DE CUIDADOSA HIGIENE DENTAL. AS SEGUINTES REACOES ADVERSAS FORAM RELATADAS EM INVESTIGACOES CLINICAS E APOS A COMERCIALIZACAO DO PRODUTO. NA GRANDE MAIORIA DOS CASOS, NAO FOI POSSIVEL ESTABELECER UMA RELACAO CAUSAL ENTRE ESSES EVENTOS E O TRATAMENTO COM SPLENDIL: PELE: RARAMENTE ERUPCAO CUTANEA E/OU PRURIDO. MUSCULOESQUELETICO: CASOS ISOLADOS DE ARTRALGIA. SISTEMA NERVOSO CENTRAL E PERIFERICO: CEFALEIA, TONTURAS E, EM CASOS ISOLADOS, PARESTESIA. GASTROINTESTINAL: EM CASOS ISOLADOS NAUSEA, HIPERPLASIA GENGIVAL. HEPATICAS: AUMENTO DAS ENZIMAS HEPATICAS (CASOS ISOLADOS). CARDIOVASCULAR: RARAMENTE TAQUICARDIA E PALPITACOES. VASCULAR: EDEMA PERIFERICO E RUBORIZACAO. OUTROS: FADIGA E ARTRITES (RARO), E, EM CASOS ISOLADOS, REACOES DE HIPERSENSIBILIDADE COMO URTICARIA, ANGIOEDEMA. INTERACOES MEDICAMENTOSAS: A ADMINISTRACAO CONCOMITANTE DE SUBSTANCIAS QUE INTERFEREM COM O SISTEMA ENZIMATICO DO CITOCROMO P450 PODEM AFETAR AS CONCENTRACOES PLASMATICAS DE FELODIPINA. OS INIBIDORES ENZIMATICOS (POR EX. CIMETIDINA, ERITROMICINA) PROVOCAM UM AUMENTO NOS NIVEIS PLASMATICOS DE FELODIPINA E OS INDUTORES ENZIMATICOS (POR EX. FENITOINA, CARBAMAZEPINA, BARBITURICOS) DIMINUEM OS NIVEIS PLASMATICOS DE FELODIPINA. O ELEVADO GRAU DE LIGACAO PROTEICA DA FELODIPINA NAO PARECE AFETAR A FRACAO NAO LIGADA DE OUTRAS DROGAS COM GRANDE LIGACAO PROTEICA, COMO A WARFARINA.

– Posologia e Administração:

A DOSE DEVE SER AJUSTADA INDIVIDUALMENTE. O TRATAMENTO DEVE SER INICIADO COM A DOSE DE 5 MG UMA VEZ AO DIA. AS DOSES DE MANUTENCAO SAO, EM GERAL, DE 5 A 10 MG UMA VEZ AO DIA. SE NECESSARIO A DOSE PODE SER AUMENTADA OU PODE-SE ADICIONAR OUTRA DROGA ANTI-HIPERTENSIVA. OS COMPRIMIDOS DEVEM SER TOMADOS PELA MANHA E DEVEM SER ENGOLIDOS INTEIROS COM AGUA, NAO DEVENDO SER DIVIDIDOS, AMASSADOS OU MASTIGADOS E A SUA INGESTAO PODE SER FEITA INDEPENDENTE DA INGESTAO DE ALIMENTOS. – SUPERDOSAGEM: A SUPERDOSAGEM PODE CAUSAR EXCESSIVA VASODILATACAO PERIFERICA COM HIPOTENSAO ACENTUADA E, EVENTUALMENTE, BRADICARDIA. TRATAMENTO: NOS CASOS DE HIPOTENSAO GRAVE DEVE-SE INSTITUIR TRATAMENTO SINTOMATICO. O PACIENTE DEVE SER COLOCADO EM POSICAO SUPINA COM AS PERNAS ELEVADAS. SE OCORRER BRADICARDIA, RECOMENDA-SE A ADMINISTRACAO DE 0,5 MG A 1,0 MG DE ATROPINA POR VIA INTRAVENOSA. SE ESSA MEDIDA NAO FOR SUFICIENTE, O VOLUME PLASMATICO DEVE SER AUMENTADO UTILIZANDO-SE INFUSOES DE SOLUCOES GLICOSADAS, SALINAS OU DEXTRANO. CASO AS MEDIDAS ACIMA MENCIONADAS AINDA SEJAM INSUFICIENTES, PODE-SE ADMINISTRAR DROGAS SIMPATOMIMETICAS COM EFEITO PREDOMINANTE NOS RECEPTORES ALFA 1-ADRENERGICOS.

– Apresentação:

COMPRIMIDOS DE 5 A 10 MG DE LIBERACAO PROLONGADA: CAIXAS COM 20.

– Laboratório:

Quim. e Farm. Nikkho do Brasil Ltda

www.portaldocoracao.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here