Dez dicas antes de consultar um cardiologista

0
5986
close up of man hands with heart

A consulta médica (história clínica e exame físico) são a base para qualquer avaliação médica. Sabemos que com o passar dos anos a duração das consultas médicas, por vários motivos, vem diminuindo.

Por isso, é fundamental que este contato entre médico e  paciente seja o mais produtível possível.  Abaixo relacionamos algumas dicas relativas a uma consulta médica com o especialista em cardiologia.

1- Horário da consulta:

É muito comum, até pela imprevisibilidade da profissão e da especialidade, que os cardiologistas atrasem  seus horários de consulta. No entanto, faça a sua parte (até para poder cobrar  atrasos recorrentes do profissional), comparecendo no local da consulta  pelo menos  5 a 10 minutos antes do horário agendado.

2- Roupas:

O exame físico cardiológico envolve algumas etapas fundamentais, como a ausculta do tórax e a medida da pressão arterial. Procure vir com roupas que facilitem essas etapas da consulta, como camisas de botões (as mulheres para evitar constrangimentos devem vir de soutien), com mangas largas. Esse tipo de roupa também facilita a realização de um eletrocardiograma após a consulta, exame rotineiro em uma primeira avaliação.

3- Uso dos medicamentos:

A não ser que haja uma recomendação formal, não deixe de tomar seus medicamentos de uso contínuo no dia da consulta. É muito comum que os pacientes hipertensos não tomem a sua medicação na manhã da consulta. Tal fato atrapalha o raciocínio médico, pois um dos objetivos da consulta será avaliar se a pressão arterial está controlada adequadamente com a medicação prescrita.

4-Exames complementares prévios:

Procure trazer os exames realizados anteriormente, principalmente nos casos de primeira consulta.

5- Receita médica antiga ou relação dos medicamentos :

Ter acesso a receita médica, principalmente nos casos de patologias crônicas ou à relação dos medicamentos (com a dose e horário de uso), será extremamente útil para a compreensão do quadro clínico do paciente.

6- Acompanhantes:

Pessoas idosas, principalmente com déficits cognitivos (por exemplo, quadros demenciais), deverão comparecer acompanhados por algum familiar  ou cuidador  no dia da consulta. Desta forma  a obtenção das informações será facilitada.

7- Entrevista médica:

Esta é chamada de anamnese. Essa etapa do exame clínico deve seguir uma seqüência lógica, a qual, deverá ser conduzida pelo médico. Por isso, procure se restringir as informações que lhe são solicitadas, evitando abordar fatos ou histórias paralelas, que em nada contribuirão para a compreensão do quadro clínico. Lembre-se que  nem sempre a sua principal queixa (a que mais lhe incomoda) é a mais importante, ou seja,  a mais grave para o médico. Procure se informar sobre os antecedentes de doença em parentes de primeiro grau (avós, pais e irmãos).

8- Nova receita:

A calegrafia de muitos médicos não costuma ser das melhores. Por isso, é útil que você leia ainda no consultório a receita. Caso haja dúvidas sobre a medicação (nome, dose ou horário), esclareça suas dúvidas como profissional antes do término da consulta.

9- Exames solicitados:

Muitos médicos apresentam uma predileção em relação aos locais para realização de exames. Pergunte a secretária qual o local de preferência do médico para que o exames sejam realizados. Pergunte também sobre a necessidade de suspensão de medicamentos, jejum ou outros cuidados.

10- Retorno:

Se for possível, estime o tempo para retornar ao consultório (geralmente até 30 dias) e, se você têm preferências por certos horários, procure deixar o dia e o horário de retorno previamente agendados.

Autor: Dr. Tufi Dippe Jr – Cardiologista de Curitiba – CRM PR 13700.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here