Embora seja o terceiro produtor mundial, o consumo de frutas no Brasil é baixo, aponta estudo

0
162

Segundo dados recentes do Ministério da Agricultura de 2008, o Brasil é o terceiro maior produtor mundial de frutas, com cerca de 39 milhões de toneladas por ano, ficando atrás apenas da China e da Índia.

Só no ano de 2007, foram exportados 920 mil toneladas e este resultado deve-se à boa qualidade do produto brasileiro.  De uma forma curiosa, o Ministério da Saúde divulgou um estudo, em abril de 2008, que o consumo de frutas e verduras ainda é muito baixo no Brasil. As recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) é a de comer cinco a oito porções diárias (aprox. 500g) de alimentos que incluem frutas e verduras, e apenas 17,7% da população brasileira atende a essas recomendações.

Curitiba ficou junto com a média nacional de 17%, sendo que das mulheres 21,2% tem este costume e dos homens apenas 12,6%. Estudos científicos demonstram que o consumo de pelo menos 5 porções diárias de frutas e verduras contribui para prevenção de doenças como obesidade, doenças cardiovasculares, diabetes e alguns tipos de câncer, além da manutenção do peso, uma vez que são excelentes fontes de vitaminas, minerais, fibras e componentes benéficos à saúde humana: como os antioxidantes (vitaminas, polifenóis e carotenóides) que se apresentam em alta quantidades nas frutas.

Segundo o Guia da Pirâmide dos Alimentos a recomendação para o consumo de frutas é de aproximadamente 2 a 4 porções no dia, o que equivale a:

– Duas rodelas de abacaxi, mais 1 caqui e uma goiaba, ou; 

– Duas fatias de melancia, mais uma banana e uma laranja, ou; 

– Uma maça, uma fatia de mamão e uma laranja.

 O baixo consumo deste grupo de alimentos tem origens culturais que vem da educação alimentar e falta de hábitos de vida saudáveis. Segundo o Presidente do Instituto Brasileiro de Fruticultura: “Os brasileiros praticamente não reconhecem a fruta como um alimento, mas sim como um complemento alimentar”.  Por mais que sejamos um país tropical e grande produtor de frutas, muitas vezes a falta de praticidade no consumo das frutas, como, por exemplo, lavar, descascar e ter que consumir na hora, muitas vezes é encarado com dificuldade e empecilho para quem trabalha o dia todo.  

Uma alternativa seria consumir além das frutas frescas, frutas desidratadas, ou até mesmo produtos processados com alto teor de frutas, como barras de frutas e até mesmo as barras de cereais procurando sempre as barras que realmente contém frutas, e principalmente as que apresentam maior proporção destes componentes.

A dúvida que existe por muitas pessoas ao consumir estes produtos desidratados é quanto a perda de nutrientes. A maior parte dos nutrientes são preservados, porém o calor gerado no processo de secagem das frutas, reduz os níveis de alguns nutrientes sensíveis ao calor, como a vitamina C, por exemplo.

A retirada de água de uma fruta faz com que os nutrientes (fibras e sais minerais) fiquem mais concentrados, e as frutas ficam menores o que faz com que se acabe consumindo o dobro ou mais. Vale lembrar que além dos nutrientes, as calorias (açúcares) também estão concentradas, por isso meia taça ou menos de fruta desidratada pode contar como uma taça de fruta fresca.

As barras de frutas são compostas de até 70% de frutas desidratadas e são uma boa opção de consumo pelo sabor e praticidade, há também a opção pelas barras de cereais com pedaços de frutas – elas possuem em média 5% de fruta, além das fibras, sendo, portanto também uma boa opção de consumo.  

Uma vantagem ainda da fruta desidratada é que é mais fácil de ser transportada e é preservada por um maior tempo.São praticas e não existe a desculpa que dá trabalho para consumir. Depois de ter os benefícios tão claros e saber a importância de um consumo diversificado e regular das frutas na rotina alimentar o que falta é o brasileiro se organizar e aproveitar do que há disponível tanto das frutas frescas quanto das novidades que a indústria alimentícia disponibiliza com o uso de frutas. 

Ser criativo incluído frutas em receitas, como sobremesa, antes, durante ou depois de uma atividade física e até mesmo no intervalo do trabalho são atitudes que contribuem para a saúde. Só depende de você!!!

*Contribuição na elaboração do conteúdo: Dayane Rosalyn Izidoro (Pesquisadora Técnica- Nutrimental)

Dra. Ana Flávia Pinheiro – Nutricionista – CRN 1004  

www.portaldocoracao.com.br

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here