Hipertrofia ventricular esquerda

0
787

A hipertrofia ventricular esquerda (HVE) caracteriza-se por um espessamento anormal  da parede muscular  do ventrículo esquerdo , a principal câmara do coração.  Qualquer situação que acarrete uma sobrecarga crônica  para essa câmara, poderá  causar uma hipertrofia ventricular. A hipertensão arterial é a principal causa da hipetrofia ventricular esquerda . 

Causas: 

O ventrículo esquerdo é a principal câmara do coração, que bombeia o sangue em direção ao cérebro e ao restante do corpo (exceto a circulação dos pulmões , que é irrigada pelo ventrículo direito) .  Qualquer situação que acarrete uma sobrecarga para essa câmara , poderá  causar uma hipertrofia ventricular equerda.

– Hipertensão arterial e obesidade : 

A hipertensão arterial é a principal causa da hipertrofia ventricular esquerda. Nessa doença há uma sobrecarga crônica de pressão sobre o ventrículo esquerdo. A obesidade severa também causa uma sobrecarga crônica ao coração , podendo  também causar a hipertrofia ventricular esquerda. 

– Doenças da vávulas cardíacas: 

Como o estreitamento da válvula aórtica (estenose aórtica) , ou ainda , a insuficiência das vávulas aórtica ou mitral , podem causar uma sobrecarga de volume (uma quantidade anormal de sangue permanece dentro do ventrículo após a sua contração) , que leva à hipetrofia ventricular esquerda.

– Doença arterial coronariana:

Essa doença caracteriza-se pela presença de placas de gordura nas artérias do coração . Essa falta de irrigação de sangue do músculo cardíaco , poderá levar ao aparecimento da hipertrofia ventricular esquerda.

– Doenças do músculo cardíaco:

A miocardiopatia hipetrófica é uma doença genética , caracterizada pelo desenvolvimento de uma intensa hipertrofia ventricular esquerda (principalmente na região do septo , porção do músculo cardíaco que separa o ventrículo esquerdo do ventrículo direito). Nessa doença não é  necessário a presença de uma sobrecarga de pressão ou volume , para que surja a hipertrofia ventricular esquerda . Outras doenças do músculo cardíaco, como as mocardiopatias dilatada e restritiva, também podem cursar com graus variáveis de hipertrofia ventricular esquerda.

Sinais e sintomas:

A hipetrofia ventricular esquerda  poderá  fazer parte do quadro  de uma doença totalmente assintomática , como costuma ser os casos de hipertensão arterial. Nos casos em que a hipertrofia ventricular associa-se a uma dificuldade de relaxamento ou de contração do coração , sintomas como falta de ar ou fadiga poderão aparecer. Arritmias cardíacas associadas à presença da hipertrofia ventricular esquerda  , poderão causar palpitações , pré-desmaio e desmaio ( síncope ). A dor torácica poderá fazer parte do quadro da doença arterial coronariana , estenose aórtica severa e a da miocardiopatia hipertrófica.

Diagnóstico:

Durante o exame físico , a palpação do ictus (ponta do coração) na região anterior do tórax, poderá sugerir a presença da hipetrofia ventricular esquerda. O eletrocardiograma é o primeiro exame a ser realizado e, poderá mostrar indícios da hipertrofia . No entanto , esse exame poderá não mostrá-la ( apenas  40% dos casos de hipertrofia ventricular esquerda podem ser detectados no eletrocardiograma).

O exame mais usado com a finalidade de diagnosticar a hipetrfofia ventricular esquerda é o ecocardiograma. Este exame ainda é muito útil para determinar a sua causa. Outros exames poderão ser solicitados , na dependência do quadro clínico e da suspeita da causa da hipetrofia ventriclar esquerda. 

Prognóstico:

A hipertrofia ventricular esquerda agrava o prognóstico dos pacientes hipertensos, aumentando o seu risco de desenvolvimento de insuficiência cardíaca e morte.  O prognóstico da hipertrofia ventricular esquerda , dependerá muito da sua causa e, também , da capacidade de contração do coração. A hipertrofia ventricular esquerda pode ser reversível.

Tratamento:

Dependerá da doença que leva à hipetrofia ventricular esquerda. O controle da hipertensão arterial , do diabete melito e da obesidade , são fundamentais. Medicamentos cardiológicos , como os inibidores da enzima conversora (exemplos: captopril , enalapril e ramipril) , ajudam a reverter a hipetrofia ventricular esquerda.  A angioplastia coronariana poderá ser indicada em casos de doença arterial coronariana. Procedimentos cirúrgicos como a troca de uma válvula ou a cirugia de revascularizão miocárdica (ponte de safena) , poderão  ser indicados em casos específicos.

www.portaldocoracao.com.br 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here