Infarto do miocárdio ( ataque cardíaco ): O exame cardiológico

0
92

O infarto do miocárdio , melhor denominado de infarto agudo do miocárdio ou, simplesmente, ataque cardíaco, é uma emergência médica em que parte   do fluxo sangüíneo do coração sofre uma interrupção súbita  e  intensa, produzindo a morte das células  do músculo cardíaco (miocárdio) .

O pico de ocorrência do primeiro  infarto do miocárdio  costuma ser aos  55 anos de idade nos homens e aos  65 anos de idade nas mulheres.

Em geral, o infarto do miocárdio  ocorre quando há uma interrupção súbita e intensa do fluxo de sangue através de uma artéria coronária que irriga uma região  do coração , ocorrendo  morte de parte do tecido cardíaco. Geralmente a causa desta interrupção do fluxo sangüíneo   é um acidente de uma  placa de ateroma , ou seja, uma ruptura de uma placa de gordura .

Esta ruptura acarreta a formação de um coágulo que interrompe o fluxo sangüíneo neste local da artéria. O  infarto do miocárdio   é uma das manifestações da doença arterial coronariana, caracterizada pela formação de ateromas na parede das artérias coronárias. Raramente, o  infarto do miocárdio  ainda poderá ser ocasionado por outras causas , como :  uso de drogas ilícitas (cocaína e derivados) , aneurismas das artérias coronárias, dissecção aórtica aguda com acometimento  da origem das artérias coronárias, vasculites (inflamação das artérias coronárias) ou embolização por um coágulo que sai da cavidade cardíaca e se aloja na artéria coronária ou ainda , por uma vegetação, que se despreende de uma válvula acometida por endocardite infecciosa.

O exame clínico:

O exame clínico é composto da história (anamnese) e do exame físico. Como em qualquer outra doença , o exame clínico é a base para o diagnóstico do infarto do miocárdio.

– História (anamnese):

Embora a apresentação clínica dos pacientes com isquemia miocárdica aguda ( falta de irrigação sangüínea no músculo do coração ) , possa ser muito diversa, cerca de 75% a 85% dos pacientes apresentam dor torácica ( dor no peito ) como sintoma predominante. A dor é usualmente prolongada ( mais de 20 minutos de duração ) e desencadeada por exercício físico ou por estresse emocional , mas pode ocorrer em repouso.

A dor, em geral intensa, é aliviada parcialmente com repouso ou com o uso de nitratos ( vasodilatadores das artérias coronárias )  e , pode ser acompanhada de irradiação para membros superiores e pescoço e, ainda , por outros sintomas associados ( falta de ar, náuseas e vômitos). Em pacientes com angina do peito prévia, a mudança do caráter da dor é um indicador de instabilização do quadro e uma possível evolução para um quadro de infarto do miocárdio.

É importante ressaltar que a obtenção de uma história detalhada sobre as características da dor e o relato prévio de cardiopatia isquêmica ( presença de placas de gordura nas artérias do coração ) ou de seus fatores de risco ( hipertensão arterial , diabete melito, tabagismo , etc… ), auxiliam muito no diagnóstico, mas não têm acurácia clínica adequada para afastar ou confirmar um quadro de isquemia aguda do miocárdio.

– Exame físico :

É freqüentemente pobre e inespecífico. Menos de 20% dos pacientes apresentam alterações significativas à avaliação inicial. Entretanto, a presença de estertores pulmonares ( acúmulo de líquido nos pulmões ), hipotensão arterial sistêmica ( pressão arterial sistólica inferior à 110 mmHg) e taquicardia sinusal ( freqüência cardíaca superior a 100 batimentos por minuto ) , coloca o paciente em maior risco de desenvolver eventos cardíacos nas próximas 72 horas.

Fonte: Sociedade Brasileira de Cardiologia (2004).

www.portaldocoracao.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here