Como funciona o sistema elétrico do coração?

0
324

O coração é um orgão ativado por estímulos elétricos, sendo composto por quatro câmaras (duas superiores e menores, chamadas de átrios e, duas inferiores e maiores, chamadas de ventrículos). Essas câmaras funcionam como uma bomba propulsora de sangue.

Esta bomba bate cerca de 100 mil vezes por dia, devendo ser eficaz durante toda a nossa vida. As paredes musculares de cada câmara se contraem em uma sequência precisa, impulsionando um volume máximo de sangue com o menor gasto energético possível.

A contração das fibras musculares do coração é controlada por uma descarga elétrica que flui através de vias elétricas do sistema de condução, em uma velocidade controlada. A descarga elétrica que inicia a cada batimento cardíaco origina-se no marcapasso natural do coração, chamado de nó sinusal ou sinoatrial, situado na parede do átrio direito. A frequência da descarga é influenciada pelos impulsos nervosos e pelos níveis de hormônios que circulam na corrente sanguínea.

O sistema nervoso autônomo (SNA) regula a frequência cardíaca através de seus dois componentes: o sistema nervoso simpático (SNS) e o parassimpático (SNPS). O SNS aumenta a frequência cardíaca, enquanto o SNPS a diminui. O SNS supre o coração com uma rede de nervos, chamada de plexo simpático. O SNPS supre o coração através de um único nervo, chamado de nervo vago. A frequência cardíaca aumenta sob a influência dos hormônios circulantes do SNS (adrenalina e noradrenalina).

O hormônio tireoidiano também influencia a frequência cardíaca. Quando há excesso deste hormônio a frequência cardíaca  torna-se muito elevada, no entanto, quando há deficiência do mesmo, o coração passa a bater muito lentamente. Geralmente, a frequência cardíaca normal em repouso é de 50 a 100 batimentos por minuto.

Entretanto, frequência cardíaca mais baixas (bradicardia sinusal) podem ser normais em adultos jovens, particularmente entre aqueles que apresentam um bom condicionamento físico. Variações da  frequência cardíaca são normais durante as atividades do dia. Certos medicamentos e substâncias, como nicotina do cigarro,  álcool e drogas ilícitas, também podem influenciar a frequência cardíaca.

O sistema elétrico do coração

nó sinusal ou sinoatrial inicia um impulso elétrico que flui sobre os átrios direito e esquerdo (câmaras cardíacas superiores e menores), fazendo que estes se contraiam. O sangue, imediatamente será deslocado para os ventrículos (câmaras cardíacas inferiores e maiores). Quando o impulso elétrico chega ao nó atrioventricular (estação intermediária do sistema elétrico), este impulso sofre um ligeiro retardo.

Em seguida, o impulso dissemina-se ao longo do feixe de His, o qual divide-se em ramo direito (direcionado para o ventrículo direito), e em ramo esquerdo (direcionado para o ventrículo esquerdo). Este último é dividido em três fascículos: anterossuperior, anteromedial e o posteroinferior.

Em seguida, o impulso atinge os ventrículos, fazendo com que estes se contraiam (sístole ventricular), permitindo a saída de sangue para fora do coração. O ventrículo esquerdo ejeta o sangue para o cérebro, músculos e outros orgãos do corpo humano. O ventrículo direito ejeta o sangue exclusivamente para a circulação do pulmão, para que este sangue seja enriquecido com oxigênio.

O ritmo cardíaco ditado pelo marcapasso natural do coração (nó sinusal) é chamado de ritmo sinusal. O ritmo cardíaco ditado pelo nó atrioventricular (estação intermediária do sistema elétrico do coração) é chamado de ritmo juncional. Muitas vezes esse último pode não ser indicativo de uma doença cardíaca propriamente dita.

Autor: Dr. Tufi Dippe Jr – Cardiologista de Curitiba – CRM/PR 13700.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here