Artigos sendo lidos neste momento !

Blog Post

Gordura abdominal confere risco maior de infarto do miocárdio em mulheres do que em homens, diz estudo
Destaques, Doenças Cardiovasculares na Mulher, Infarto do Miocárdio, Obesidade

Gordura abdominal confere risco maior de infarto do miocárdio em mulheres do que em homens, diz estudo 

Existem diferenças substanciais em relação à distribuição do tecido gorduroso entre homens e mulheres. Um estudo britânico avaliou a deposição de gordura em homens e mulheres, bem como, sua relação com o risco de infarto do miocárdio (ataque cardíaco).

Os autores do estudo concluíram que o acúmulo central de gordura, ou seja, localizada acima da cintura, conferiu um risco maior de infarto do miocárdio em mulheres do que em homens.

A gordura central pode ser avaliada através da circunferência abdominal. Valores maiores que 80 cm para as mulheres e 94 cm para os homens são considerados de maior risco, independente do índice de massa corporal (peso dividido pela altura ao quadrado). Outra forma de avaliar a obesidade central é através da relação cintura-quadril, a qual deve ser de no máximo 0,80 para mulheres e 0,90 para homens.

Pesquisadores britânicos avaliaram dados de cerca de 500 mil pessoas de 40 a 69 anos, entre os anos de 2006 e 2010, em todo o Reino Unido. Os participantes do estudo foram avaliados quanto ao seu índice de massa corporal, circunferência abdominal e relação cintura-quadril.

Durante cerca de 7 anos de seguimento foram registrados 5.710 casos de infarto do miocárdio. Após análises estatísticas, os autores do estudo concluíram que, embora as 3 medidas de adiposidade, quando elevadas, aumentavam o risco de infarto do miocárdio em ambos os sexos, uma maior cintura abdominal ou relação cintura-quadril conferiu um risco maior de infarto do miocárdio nas mulheres do que nos homens.

A relação cintura-quadril também foi mais fortemente associada ao risco de infarto do miocárdio que o índice de massa corporal em ambos os sexos, especialmente nas mulheres.

Fonte: Journal of the American Heart Association.

Autor: Dr. Tufi Dippe Jr – Cardiologista de Curitiba – CRM/PR 13700.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios estão marcos com *