Dieta rica em fibras diminui significativamente o risco de pré-eclâmpsia em gestantes , aponta estudo

0
65

Considera-se hipertensão arterial na gravidez quando o nível da pressão arterial habitual for maior ou igual a 140/90 mmHg. Duas formas de hipertensão podem complicar a gravidez : hipertensão arterial prévia à gravidez ( crônica ) e a hipertensão arterial induzida pela gravidez ( pré-eclâmpsia e eclâmpsia), podendo essas formas ocorrerem  isoladamente  ou de forma associada.

A pré-eclâmpsia e a  eclâmpsia ,   geralmente  surgem  após    20    semanas    de    gestação.    Caracterizam-se   pelo desenvolvimento gradual de hipertensão arterial   , proteinúria ( perda urinária  de proteína ) e edema ( inchaço ). No quadro  de   eclâmpsia ,   ocorrem convulsões que podem ser fatais. A doença hipertensiva da gravidez , aumenta o risco de complicações e de morte , tanto para  a mãe como para o feto   . 

A  interrupção da     gestação    é  o   tratamento definitivo na pré-eclâmpsia   e   deve ser considerado em todos  os  casos com maturidade pulmonar fetal assegurada.   Hipertensão arterial prévia , diabete melito tipo II e dieta com baixa ingesta de frutas e vegetais são fatores de risco para a pré-eclâmpsia.

Um recente estudo , demonstrou que a ingesta elevada de fibras durante a gestação , diminui o risco de pré-eclâmpsia em cerca de  70% . Outros achado , foram a diminuição  dos níveis de triglicerídeos e elevação dos níveis do HDL colesterol ( "colesterol bom")  no sangue .

Fonte:Am J Hypertens ( 2008 ).

www.portaldocoracao.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here