FDA enumera os alimentos responsáveis por 90% das reações alérgicas

0
103

A alergia alimentar é um tipo específico de reação adversa que envolve o sistema imunológico. O corpo produz a imunoglobulina E (IgE), um anticorpo formado frente a ingestão de um determinado alimento.O anticorpo IgE se liga a uma célula inflamatória chamada de mastócito, que libera substâncias nocivas que acarretam alterações adversas em todo o organismo.

O FDA (Food and Drug Administration), orgão americano que regula a comercialização de medicamentos e alimentos nos Estados Unidos, alerta que 90% das reações alérgicas são causadas por um pequeno número de alimentos. Os principais alimentos que desencadeiam alergias e que contém certas proteínas específicas são: leite, ovos, amendoim, nozes, amêndoas, pecans, soja, peixes e crustáceos como o caranguejo, lagosta e camarão.

A alergia alimentar não deve ser confundida com uma intolerância alimentar. Vários estudos indicam que quase 80 por cento das pessoas que dizem sofrer de uma alergia alimentar, na verdade, não têm uma verdadeira alergia  alimentar. O termo intolerância alimentar refere-se a uma resposta anormal frente a um determinado alimento, mas ele difere de uma alergia já que não envolve o sistema imunológico. Por exemplo, pessoas que tem problemas gastrintestinais recorrentes quando bebem leite podem dizer que são alérgicos ao leite, mas eles realmente são intolerantes à lactose.

Uma das principais diferenças entre as alergias alimentares e as intolerâncias alimentares é que nas primeiras pode haver uma reação imediata, acarretando risco de vida. Assim, em comparação com as intolerâncias alimentares, as reações alérgicas representam um maior risco à saúde da população.  Os sintomas de uma alergia alimentar geralmente se desenvolvem dentro de aproximadamente uma hora após a ingestão do alimento agressor.

Os sinais e sintomas mais comuns de uma alergia alimentar incluem: urticária (grosseirão no corpo), prurido (coceira), inchaço dos lábios, face, língua e garganta, ou ainda, em outras partes do corpo. Pode aparecer sibilância (broncoespasmo), congestão nasal, dificuldade para respirar ou dor abdominal,diarréia, náuseas ou vômitos, tonturas ou desmaio. Em uma reação alérgica alimentar grave, chamada de anafilaxia, pode ocorre uma reação mais extrema com risco de vida e sinais e sintomas como: inchaço da garganta ( impedindo a passagem do ar, o chamado edema de glote) tornando a respiração difícil, podendo ainda haver uma intensa queda na pressão arterial (choque anafilático), pulso irregular e perda da consciência.

Se você tem alergias alimentares,  deve estar preparado para uma exposição involuntária aos alimentos capazes de desencadear uma alergia. Para proteger a si próprio, recomendamos que você:

-Use uma pulseira ou colar médica alertando que você tem uma alergia alimentar e está sujeito a reações graves.

-Carregue um injeção com uma dose de adrenalina que lhe permitindo-lhe uma auto-aplicação frente a uma alergia grave.

-Procure ajuda médica imediatamente se você tiver sintomas de uma alergia alimentar, mesmo que você já tenha aplicado a adrenalina.

Fonte: FDA (2009).

www.portaldocoracao.com.br 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here