Alimentos funcionais e saúde

0
74

Definimos alimentos funcionais aqueles que contem uma substância e/ou componente que proporciona benefÍcio para a saúde, inclusive na prevenção e tratamento de doenças. Tudo começou quando cientistas começaram a observar certos povos e a relacionar seu estilo de vida com a incidência de doenças crônicas. Perceberam alguns pontos bem interessantes e começaram a se perguntar: por que esquimós e franceses tinham baixa incidência de problemas cardíacos ou por que orientais não apresentavam câncer de mama?

Foi a partir daí que começou-se a pensar em alimentos funcionais2. Os compostos bioativos dos alimentos chamamos de fitoquímicos, ou seja, são substâncias encontradas principalmente em frutas e verduras, que podem ser ingeridas todos os dias e que mostram potencial para alterar o metabolismo humano de forma favorável a prevenção de varias doenças2. Em uma dieta de qualidade, contendo frutas, verduras, vinho e chás ingerimos aproximadamente 1 g de fitoquímicos6.

O grupo de destaque dos fitoquímicos inclui os terpenóides, glicosinolatos e os compostos fenólicos: Terpenóides: alimentos verdes, amarelos, alaranjados, soja e grãos são seus principais representantes. Possuem ação antioxidante e comprovada ação na prevenção de câncer, dentre eles: câncer de bexiga, útero, coloretal e pulmão. Também ajudam na diminuição de colesterol de baixa densidade (LDL) e do colesterol total3. Os glicosinolatos ou compostos nitrogenados contêm em sua composição enxofre e também estão relacionados com prevenção de câncer, além de ativarem as enzimas hepáticas para detoxificacão. Dentre os alimentos, destacam-se: brócolis, couve-flor, repolho e rabanete4.

Os compostos fenólicos têm a característica de dar sabor amargo e adstringente ao alimento. Eles são importantes protetores contra a oxidação da LDL colesterol, pois possuem ação antioxidante, através dos mecanismos de reciclagem da vitamina E, quelação de íons metálicos e conseqüente diminuição da produção de radiais livres. Agem também na diminuição da agregação plaquetária e trombose, assim como em processos de alergia e síntese de estogeno3. Logo, o vinho e o chá verde diminuem o risco de desenvolvimento de doença cardiovascular. As isoflavonas combatem câncer, diabete, osteoporose, doenças cardiovasculares, doenças neurodegenerativas e amenizam os efeitos da menopausa. Possuem atividade similar aos estrógenos humanos e por isso chamamos de fitoestrógenos5.

Não podemos esquecer das gorduras do bem, os ácidos graxos poliinsaturados. Possuem Omega 3 e Omega 6. Os melhores representantes desta classe são os peixes de águas frias e profundas, como o salmão e arenque, semente de linhaça, óleos vegetais e nozes. Diminuem o colesterol sanguíneo e os níveis de triglicerídeos, reduzindo pressão arterial e também prevenindo doenças cardiovasculares6. Os frutooligossacarídeos são fibras, as quais auxiliam no controle do colesterol e na prevenção de vários cânceres. Em resumo, podemos encontrar inúmeros estudos científicos que correlacionam a alimentação com doenças crônicas e principalmente, doenças cardiovasculares.

Infelizmente ainda não se sabe de alimentos que possam efetivamente curar qualquer dessas doenças, quem sabe no futuro. Portanto o que está em nossas mãos hoje é a prevenção e somos nós mesmos que decidimos o que colocamos ou não no prato. Por isso, procure se alimentar com consciência, mastigue bem os alimentos, saboreie os alimentos, faça da sua refeição um momento prazeroso e rico em alimentos funcionais! O que importa não são os alimentos isolados, mas do que sua dieta é composta.

Referencias Bibliograficas:

1. POLLONIO, M. Alimentos Funcionais: as recentes tendências e os envolvimentos no consumo. Higiene Alimentar, v. 14, p.26-31, 2000.

2. ADA American Dietetic Association. Position of the American Dietetic Association: functional foods, v. 10, p.1278 – 85, 1999.

3. GERMAN, B.; DILLARD, C.J. Phytochemicals: nutraceutical and human health. Reviews. J Sci Food Agric, v. 80, p. \1744 – 56, 2000.

4. MITCHEN, R.F. ET AL. . The nutricional significance and bioavailability of glucosinolates in human foods rewiew. J Sci Food Agric, v. 80, p. 967-84, 2000.

5. SALGADO, JMA. Importancia dos alimentos funcionais. In: Salgado JMA. Importância dos alimentos funcionais. In: Salgado JMA, Alvarenga A, Lottemberg AMP, Borges VC. Impacto dos Alimentos Funcionais para a Saúde. Nutrição em Pauta, v.48, p.10-18, 2003.

6. ANJO, D. F. Alimentos Funcionais em Angiologia e cirurgia vascular. J Vasc Br, v.3, n.2, p.145-54, 2004.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here