Quais são as causas da obstrução dos enxertos venosos (pontes de safena)?

0
559

A cirurgia de revascularização miocárdica foi desenvolvida no final da década de 60 pelo Dr. Favaloro, utilizando enxertos (pontes) de veia safena.

Essa método de tratamento mudou drasticamente o tratamento dos pacientes com doença arterial coronariana (obstruções das artérias do coração por placas de gordura, processo chamado de aterosclerose).

Este procedimento cirúrgico consiste em desviar o sangue da artéria aorta através de um enxerto venoso (veia safena) ou arterial (artéria mamária ou radial) até um ponto distal ao local da artéria coronária que encontra-se estreitada ou ocluída. Com o passar do tempo, os enxertos venosos (pontes de safena) obstruem-se mais facilmente que os enxertos arteriais.

O objetivo principal desta cirurgia é melhorar a qualidade de vida dos pacientes, aliviando os sintomas de angina do peito e restaurando a atividade física, bem como, aumentar a sobrevida em pacientes de alto risco. Um dos principais fatores que determinam o sucesso da cirurgia ao longo prazo é a degeneração dos enxertos venosos (pontes de safena), causando um estreitamento ou até uma oclusão total dos mesmos.

Causas de degeneração (obstrução) dos enxertos venosos (pontes de safena)

-Trombose:

 A trombose é o principal mecanismo responsável pela oclusão precoce das pontes de safena, que ocorre em 3% até 12% dos pacientes nas primeiras semanas de pós-operatório. A lesão da parede da veia que comumente ocorre durante a sua retirada das pernas no transcorrer da cirurgia, estimula a ativação do sistema de coagulação, resultando na formação da trombose (coágulo que obstrui a ponte de safena).
-Hiperplasia intimal:
A hiperplasia intimal é reconhecida como a principal causa da falência das pontes de safena em médio prazo (2 a 24 meses). A íntima é o revestimento interno das veias. A hiperplasia da íntima é representada por um aumento do número de células musculares lisas na parede da veia, que subsequentemente migram da camada média para a íntima, resultando em um estreitamento da luz da veia. A hiperplasia intimal facilita o desenvolvimento da aterosclerose na ponte de safena, estágio final do processo de oclusão deste enxerto.
-Aterosclerose:
A recidiva dos sintomas da isquemia miocárdica causada pela aterosclerose do enxerto venoso não é geralmente observada antes de três anos de cirurgia. O desenvolvimento de aterosclerose nas artérias nativas requer um período de 50 a 60 anos, ao passo que nos enxertos venosos o período é de apenas 5 a 10 anos.
Fonte: Revista Brasileira de Cirurgia Cardiovascular.
Autor: Dr. Tufi Dippe Jr – Cardiologista de Curitiba – CRM/PR 13700.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here