Dor de cabeça: Quando esse sintoma pode indicar uma doença mais grave?

0
19

Em ambulatórios gerais de clínica médica, a dor de cabeça (cefaléia) é o terceiro diagnóstico mais comum (cerca de 10%).As cefaléias podem ser primárias ou secundárias.

Nas cefaléias primárias não há uma condição clínica associada que cause o sintoma (exemplos: enxaqueca e cefaléia tensional). Nas cefaléias secundárias, a dor de cabeça passa a ser um sintoma de uma outra doença associada (exemplo:meningite, sinusite,hemorragia ou tumor cerebral).

Os principais alertas que indicam a possibilidade de uma cefaléia secundária são:

-Sintomas não-sugestivos de uma cefaléia primária. A enxaqueca e a cefaléia tensional são as cefaléias primárias mais comuns e apresentam sintomas bem característicos.

A enxqueca costuma apresentar cerca de 5 fases distintas: pródromo (com irritação, memória mais lenta e dificuldade em dormir), áurea (com sintomas visuais), cefaléia (dor de cabeça hemicrânica, pulsátil ou latejante, com duração de até 72 horas, com fotofobia e fonofobia, ou seja, a claridade e o barulho encomodam), náuseas/vômitos e pós-dromo (sensação de fadiga e cansaço por alguns dias) .

A cefaléia tensional costuma surgir ao longo dia, afetando a parte posterior do pescoço ou as temporas. Neste tipo de cefaléia, os pacientes percebem a dor como um aperto ou pressão na cabeça.

-Alterações do exame clínico: elevação súbita da pressão arterial, anormalidades do exame neurológico,febre, rigidez de nuca, etc…

-Alteração do nível de consciência, a qual poderá ser traduzida por uma simples sonolência diurna.

-Cefaléia relacionada ao orgasmo ou esforço físico.

-Cefaléia noturna ou ao acordar, de início recente.

-Cefaléia em portadores do HIV (vírus da imunodeficiência humana).

-Dor mais intensa que o habitual.

-Primeiro episódio de cefaléia do tipo aguda (início súbito) e intensa.

-Cefaléia que não melhora com medidas e medicamentos habituais.

-Enxaqueca sevara e não-responsiva ao tratamento habitual.

Caso você sofra de crises de cefaléia, procure um clínico geral ou neurologista para uma avaliação mais adequada.

www.portaldocoracao.com.br  

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here